“De Raiz” – O Dão a dar cartas

…pretendia marcar de forma indelével a cozinha da região do Dão

Foi há cerca de 6 meses que os chefs Inês Beja e Nuno Fonte decidiram seguir um sonho de abrir um espaço de restauração que honrasse as memórias da cozinha tradicional portuguesa que se praticava na casa das avós. Esta dupla trazia consigo a experiência do estrelado restaurante Mesa de Lemos, a escola prática liderada por Diogo Rocha que lhes deu as competências para se aventurarem num projecto íntimo e pessoal.

Em Rebordinho, nas cercanias de Viseu, encontraram o espaço ideal para assentar arraiais e levar avante uma ideia que pretendia marcar de forma indelével a cozinha da região do Dão.

O conceito leva-nos, pois, numa viagem aos sabores do passado, com o requinte, modernidade e técnicas de confecção e empratamento mais arrojadas e apelativas, sem com isso se perder a ideia da comida de conforto beirã que visam preservar.

Desta vez, caberá a Nuno Fonte liderar os comandos da cozinha, enquanto a Inês Beja ficou reservada a liderança da sala, onde, serenamente e com confiança, estabelece a ponte entre as memórias e os clientes. E, para estes, muitas são as opções ao dispor, começando logo pelos pratos de confecção por reserva: Cabidela de Galo, Cabrito Assado, Arroz de Pato, Peixe ao Sal e Arroz de Polvo (preços sob consulta).

Mas façamos uma pequena viagem pelas múltiplas opções, onde o preâmbulo das ENTRADAS nos leva logo a criar altas expectativas para o que seguirá: Açorda de Bacalhau (5,95 €), Ovos Verdes da Avó Raquel (2,00 €), Petingas de Escabeche (4,20 €), Carne do Caldeiro (2,90 €), Pastéis de Massa Tenra da Avó Nazaré (3,15 €), serão as mais sonantes, porque a lista não se esgota aqui. Nos PEIXES, o “DaRaiz” oferece o Bacalhau na Telha com Batata a Murro e Cebolada com Pimentos (12,00 €), Bacalhau à Brás das Avós (10,50 €), Atum à Bulhão Pato com Batata Doce Grelhada (13,00 € ) e Arroz de Tamboril com Camarão (14,00 €). Nas CARNES reina a Costeleta de Vitela Mirandesa certificada com Migas do Chef (16,50 €), Borrego de Leite com Arroz de Feijão e Esparregado (14,00 €), Bochecha de Porco Bísaro com Puré de Batata e Espargos (11,50 €) e Cachaço de Porco Bísaro com Molho de Vinho Madeira e Batata Frita (12,50 €).

Nas SOBREMESAS,  Inês Beja e Nuno Fonte adoçam o palato dos comensais com a Tartelete de Frutos Vermelhos e Lima (4,00 €), o Creme de Espumante (3,00 €), o Estadaliço de Ananás dos Açores e Manjericão (€4,20) e o Pudim Abade de Priscos com Maracujá (€3,50).

Porque os vinhos ficaram a cargo da enóloga Patrícia Santos, que nos brindou com uma cátedra sobre vinhos da Beira Interior, não tivemos oportunidade de passar os olhos pela CARTA DE VINHOS. No entanto, e por aquilo pudemos observar na garrafeira exposta, há uma variedade bastante atractiva com natural foco para o Dão.

Não diremos apenas que é um restaurante a seguir com muita atenção, porque a realidade mostra-nos que há ali mãos muito seguras, consistência e criatividade suficientes para tornar o “DeRaiz” numa das mais sérias referências da gastronomia das Beiras. Aqui deixo apenas um apelo aos produtores do Dão que não hesitem em fazer desta casa a melhor das montras para apresentação dos vinhos do Dão, contribuindo, assim, não só para a valorização do vinho, mas também para a preservação das memórias gastronómicas da região.

É um local a repetir muitas vezes.